CRO-DF solicita que Procon-DF reforce a fiscalização para coibir o aumento abusivo de EPIs

Em reunião realizada de forma virtual na tarde dessa quarta-feira, 20 de janeiro, o Conselho Regional de Odontologia do Distrito Federal (CRO-DF) reiterou ao Instituto de Defesa do Consumidor do Distrito Federal (Procon-DF) que intensifique a fiscalização nos estabelecimentos que comercializam Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), como máscaras, luvas, protetores oculares e de face, aventais e gorros.

A autarquia informou ao órgão de proteção do consumidor que desde o final do ano passado vem recebendo, com frequência, denúncias sobre a prática de preços abusivos nos equipamentos. Responsáveis por clínicas odontológicas e cirurgiões-dentistas procuraram o CRO para informar que registraram aumento de até 2.000% no momento em que compram os EPIs.

“O aumento abusivo dos EPIs é sobremaneira prejudicial não só para a classe odontológica, mas à sociedade como um todo, colocando em risco, inclusive, a possibilidade de continuidade das atividades de muitos profissionais o que acaba, por consequência, gerando risco iminente de prejuízo aos serviços de saúde e atendimento da população”, argumentou o presidente do CRO-DF, Dr. Marco Antônio dos Santos.

As duas instituições debateram formas de combater a prática abusiva de preços e o diretor-geral do Procon-DF, Marcelo de Souza do Nascimento, colocou o órgão à disposição do Conselho, dentro das competências que possui. Ele também se comprometeu a proceder fiscalização nos estabelecimentos que comercializam EPIs a preços exorbitantes e quando, comprovado o preço abusivo, serão tomadas medidas cabíveis dentro das competências do órgão fiscalizador.

Além do presidente do CRO-DF e do diretor-geral do Procon-DF, participaram da reunião o procurador chefe do CRO-DF, André Amanajás de Aguiar, e o diretor de fiscalização do Procon-DF, Rafael Alexandre Braga de Oliveira.

- Confira na íntegra o ofício encaminhado ao Procon-DF.