RECOMENDAÇÕES PARA ATENDIMENTOS ODONTOLÓGICOS - COVID-19

O Conselho Regional de Odontologia do Distrito Federal, considerando a seriedade que a situação de pandemia decretada pela Organização Mundial da Saúde exige, e ainda de acordo com a experiência das instituições internacionais em contato há mais tempo com o vírus, como a American Dental Association, e seguindo as recomendações do Conselho Federal de Odontologia, expede as seguintes recomendações:

1. adiar os procedimentos eletivos por 15 dias, quando será reavaliada a situação do contágio no país;

2. casos de urgência e emergência de pacientes assintomáticos e sem história de contato com fontes de contaminação deverão ser atendidos com as regras de biossegurança previstas para o COVID-19;

3. casos de urgência e emergência sintomáticos poderão ser encaminhados para a rede pública de referência odontológica para o COVID-19, para o atendimento.

Medidas de biossegurança em Odontologia COVID-19:

1. antes do atendimento, realizar antissepsia com bochechos de 1 minuto em água oxigenada;

2. todo material/instrumental termorresistente deverá ser autoclavado para cada paciente, inclusive canetas de alta rotação, peças de mão, seringas tríplices, canetas e pontas do ultrassom, pontas do fotopolimerizador;

3. antes de cada atendimento deve ser feita a limpeza das superfícies e do equipo, com água e detergente, para remoção das sujidades, secar com papel toalha;

4. após a limpeza, realizar a desinfecção com aspersão de solução de quaternários de amônia/peróxido de hidrogênio;

5. realizar as barreiras mecânicas com papel filme nas bancadas e em todo equipo (encosto, braço, refletor, cuspideira), bem como nas peças de mão, seringa tríplice (com capa de contenção) e pontas do fotopolimerizador;

6. após o atendimento remover toda a barreira mecânica e reiniciar as medidas de biossegurança (atenção para a utilização de luvas de limpeza e troca de luvas para colocação das barreiras mecânicas);

7. cuidado redobrado na desinfecção de seringas de resinas e espátulas de inserção (que deverão ser autoclavadas);

8. os atendimentos que produzam aerossóis deverão ser realizados com lençol de borracha, diminuindo o contato salivar;

9. as imagens extraorais devem ser preferência às intraorais;

10. em qualquer atendimento realizado pela equipe odontológica, devem ser utilizados todos os equipamentos de proteção individual adequados e trocados a cada paciente (capote descartável, máscara N95, óculos de proteção, gorro descartável e máscara descartável de tripla proteção associada à N95, luvas de procedimentos);

11. para as clínicas com alta concentração de pacientes na sala de espera, evitar acúmulo de pessoas em área menor que 2m² entre cada pessoa;

12. caso seu consultório não comporte realizar as orientações citadas, recomendamos não realizar os atendimentos expondo sua equipe e paciente ao risco.