Otoplastia/Otomodelação

O CRO-DF faz um alerta para que os cirurgiões-dentistas fiquem atentos às ofertas de cursos oferecendo habilitação em otoplastia, otomodelação e procedimentos cirúrgicos de nomes correlatos voltados para a correção do posicionamento das orelhas. Essa prática não pode ser desempenhada por quem tem formação em Odontologia, segundo a Resolução CFO 230, publicada no ano passado e que regulamenta a prática de procedimentos cirúrgicos em Harmonização Orofacial (HOF).

O texto foi elaborado com o objetivo de evitar interpretações equivocadas acerca da legítima competência profissional do cirurgião-dentista e detalha quais procedimentos cirúrgicos são vedados, para que o cirurgião-dentista não tenha qualquer tipo de dúvida sobre os critérios e limites de atuação. São eles: alectomia, blefaroplastia, cirurgia de castanhares ou lifting de sobrancelhas, otoplastia, rinoplastia, ritidoplastia ou face lifting.

A Resolução CFO 176/2016 também impede que cirurgiões-dentistas realizem otoplastia. A normativa autoriza a utilização da toxina botulínica e dos preenchedores faciais pelo cirurgião-dentista para fins terapêuticos funcionais e/ou estéticos, desde que não extrapole a área anatômica de atuação: a região superior ao osso hioide, até o limite do ponto násio (ossos próprios de nariz) e anteriormente ao tragus, abrangendo estruturas anexas e afins.

Denuncie quem viola as normas vigentes da Odontologia por meio de nosso site, e-mail (fiscalizacao@cro-df.org.br), ou envie uma mensagem para o WhatsApp do Setor de Fiscalização do CRO-DF, no número (61) 99909-6075.

Documentos relacionados:

Resolução CFO-230/2020 - Regulamenta o artigo 3º, da Resolução CFO-198/2019.

Resolução CFO-198/2019 - Reconhece a Harmonização Orofacial como especialidade odontológica.

Resolução CFO-176/2016 - Utilização da toxina botulínica e preenchedores faciais.