Ao Correio Braziliense, CRO-DF volta a recomendar atendimentos apenas em casos de urgência e emergência

Em matéria publicada na edição do jornal Correio Braziliense do último sábado, 18 de abril, o presidente do Conselho Regional de Odontologia do Distrito Federal (CRO-DF), Dr. Marco Antônio do Santos, voltou a recomendar que os cirurgiões-dentistas atendam somente os casos que caracterizam urgência emergência.

“Observando as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), a gente pede que os dentistas adiem os atendimentos eletivos, com o intuito de evitar a circulação de pacientes e aglomerações”, explica. O presidente também alerta para o uso correto dos materiais de proteção. “Caso o profissional não tenha os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), não deve fazer atendimento, pois pode se contaminar, além de infectar vários pacientes”, alertou o presidente.

O texto ressalta que profissionais da Odontologia de todo o DF estão redobrando os cuidados, como a utilização de aventais descartáveis, protetores faciais e a desinfecção de todo consultório, para conseguirem atender aos pacientes em meio a pandemia provocada pela Covid-19 e também aponta que a redução do número de atendimentos causará um forte impacto econômico na categoria.

A estimativa é de que os 7,5 mil profissionais que estão ativos no CRO-DF sejam impactados com a crise. “A pandemia, como em todas as outras profissões, vai trazer consequências negativas na economia, isso é previsto. Uma das preocupações do conselho é conseguir linhas de créditos para esses profissionais. Estamos preocupados com os dois lados: a prevenção da doença e o financeiro do profissional”, completa o presidente do CRO.